quarta-feira, 17 de agosto de 2011

A dor da alma e do tempo


O tempo passa e não passa
Me oprime essa vontade e esse não ter
Que o tempo passe sem você
E que com você não passe

Essa saudade que me escarnece e que faz forte
O sentir múltiplo de amor e sensações
O porque natural de todos os momentos serem seus
A parcela que me cabe de poder te amar

A água que escorre pelo corpo
Os passos de chinelos pela casa
Os dedos nas teclas e as mãos nos cabelos
As dores no físico e no psicológico rígido

Tudo, e a dor que não se move
A dor de esperar, de deixar de viver
De viver só por esperança ínfima
De um dia tudo isso ter mais sentido

A crença que faz forte a espera
De que a hora não demora, se arrasta
Do tempo em que minha vida pela metade
Vai se completar com a sua felicidade

2 comentários:

Deyse Cruz disse...

Que lindo, amore! Já quero colar pra mim. :) E vou... fifiu

Muita saudade de tu também, das nossas saídas, das nossas conversas bestas, que mesmo depois de um tempo distantes, ainda eram tão boas!

Eu topo a saída! :x
Te ama, minha menina :**

Juh V. A. disse...

Linda, como sempre né flor!
Gosto muito de te ler por aqui também! rsrs

Sinto como se entendesse o seu momento mesmo distante e sem conversar.. :)

Amo-te sempre flor!