quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Eu sei, mas nao devia.

Eu sei que a gente se acostuma.


Mas não devia.

A gente se acostuma a morar em apartamentos de fundos e a não ter outra vista que não as janelas ao redor.

E porque não tem vista, logo se acostuma a não olhar para fora.
E porque não olha para fora, logo se acostuma a não abrir de todo as cortinas.
E porque não abre as cortinas logo se acostuma a acender cedo a luz.
E à medida que se acostuma, esquece o sol, esquece o ar, esquece a amplidão.

A gente se acostuma a acordar de manhã sobressaltado porque está na hora
A tomar o café correndo porque está atrasado.
A ler o jornal no ônibus porque não pode perder o tempo da viagem.
A comer sanduíche porque não dá para almoçar.
A sair do trabalho porque já é noite.
A cochilar no ônibus porque está cansado.
A deitar cedo e dormir pesado sem ter vivido o dia.

A gente se acostuma a pagar por tudo o que deseja e o de que necessita.
E a lutar para ganhar o dinheiro com que pagar.
E a pagar mais do que as coisas valem.
E a saber que cada vez pagará mais.
E a procurar mais trabalho, para ganhar mais dinheiro, para ter com que pagar nas filas em que se cobra.

A gente se acostuma à poluição.
Às salas fechadas de ar condicionado e cheiro de cigarro.
À luz artificial de ligeiro tremor.
Ao choque que os olhos levam na luz natural.
Às bactérias de água potável.
A gente se acostuma a coisas demais, para não sofrer.
Em doses pequenas, tentando não perceber, vai afastando uma dor aqui, um ressentimento ali, uma revolta acolá.

Se a praia está contaminada, a gente molha só os pés e sua no resto do corpo.
Se o cinema está cheio, a gente senta na primeira fila e torce um pouco o pescoço.
Se o trabalho está duro a gente se consola pensando no fim de semana.
E se no fim de semana não há muito o que fazer, a gente vai dormir cedo e ainda fica satisfeito porque tem sempre sono atrasado.

A gente se acostuma para não se ralar na aspereza, para preservar a pele.
Se acostuma para evitar feridas, sangramentos, para poupar o peito.
A gente se acostuma para poupar a vida.
Que aos poucos se gasta, e que gasta de tanto se acostumar, e se perde de si mesma.

Marina Colasanti

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Receitinha: Arroz com Frango de Forno

Ola pessoinhas.
Como eu havia dito, vou postar minhas aventuras gastronomicas por aqui.
A primeira receita e de minha modesta autoria, e na minha opiniao a que eu faço  melhor.
Gosto muito dela porque nao precisa realmente de acompanhamento, e completa. Apesar de que eu ja comi com salada de alface, ja comi com feijao, ja comi com batata palha. Cada um come como gosta, afinal, tem que ser um prazer.

Entao vamos a ela: Arroz com Frango de Forno



Ingredientes

4 xícaras de arroz branco pronto


3 colheres de sopa de maionese

½ xícara de creme de leite

1 xícara de queijo mussarela picado

2 colheres de sopa de óleo

1 peito de frango desossado cortado em cubos pequenos

1 cebola picada

¼ de um pimentão picado

1 e ½ tomate picado

5 dentes de alho amassado

½ colher de sopa de coloral

Sal

Shoyo a gosto

2 colheres de sopa de massa de tomate

1 lata de milho

Azeitonas picadas a gosto

Cheiro verde picado a gosto

Se necessário algum sache de tempero pronto

Água pra fazer o caldo

 


Modo de Fazer:

Pegue arroz pronto misture com maionese ou creme de leite, e acrescente queijo mussarela picado. Coloque esse arroz num refratário que possa ir ao forno. Reserve.

Numa panela coloque o óleo, o alho amassado, o coloral e a cebola para dourar. Coloque o frango e sal a gosto para fritar.

Depois acrescente o shoyu, a massa de tomate, o tomate, o pimentão, milho, azeitona, cheiro verde, água, não muita, deixe apurar um pouco. Prove o sabor e se necessário acrescente algum temperinho tipo caldo de galinha. E necessário que sobre caldo do frango.

Com o frango pronto, coloque por cima do arroz. Observe se o caldo penetrou no arroz embaixo, caso não coloque um pouquinho de água pro caldo desceu. Leve ao forno alto por mais ou menos 15 minutos. Sirva com salada e batata palha.

Dica: Se junto ao frango acrescentar camarão e polvilhar queijo ralado por cima antes de ir pro forno fica uma delicia.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Tem como cair na monotonia?!


A nova da minha Irma.

Ela tem mania de ameaçar minha mãe e dizer que vai gritar e pedir Socorro pros vizinhos ouvirem.

Ocorre que a dona do prédio em que moramos tem um marido norte-americano, e só fala inglês.

E agora a pirralha deu pra ameaçar em inglês.

Em plena madrugada, ela diz: “Que ver mãe, quer? Vai me bater, vai?! Entao ta:

OH MY GOD!!! HELP HELP! PLEASE! OH MY GOD”



Minha mãe, no período em que meu pai estava viajando:

“To com muita saudade do meu vei. Quando a gente se conheceu, ele precisava muito de alguém que tivesse paciência com ele.

E bom sentir saudade pra dar uma apimentada. Mas eu vou dizer, eu num gosto não de apimentada nenhuma, eu quero e ele aqui.

E, minha filha, Deus não da tampa de tacho pra panela de pressão não”


O que eu posso dizer?! Cada dia e uma nova.

domingo, 14 de novembro de 2010

Um dia frio... ou "Nem um dia"


Um dia frio

Um bom lugar prá ler um livro
E o pensamento lá em você
Eu sem você não vivo


Um dia triste
Toda fragilidade incide
E o pensamento lá em você
E tudo me divide

Longe da felicidade e todas as suas luzes
Te desejo como ao ar
Mais que tudo
És manhã na natureza das flores

Mesmo por toda riqueza dos sheiks árabes
Não te esquecerei um dia
Nem um dia
Espero com a força do pensamento
Recriar a luz que me trará você
E tudo nascerá mais belo
O verde faz do azul com o amarelo
O elo com todas as cores
Pra enfeitar amores gris


Um dia frio
Um bom lugar prá ler um livro
E o pensamento lá em você
Eu sem você não vivo


Um dia triste
Toda fragilidade incide
E o pensamento lá em você
E tudo me divide


Mesmo por toda riqueza dos sheiks árabes
Não te esquecerei um dia
Nem um dia
Espero com a força do pensamento
Recriar a luz que me trará você

E tudo nascerá mais belo
O verde faz do azul com o amarelo
O elo com todas as cores
Pra enfeitar amores gris

[ Nem um dia - Djavan]
 
 
Não me canso dessas tardes frias e meio melancólicas.

Céu cinza, sofá, edredom, livro ou filme.
Café ou chocolate, reflexão e olhar por janelas de vidro.
E mesmo assim, coração quente.
[Só me canso de não te ter por perto]


E no silencio das palavras apenas pensadas,
Perdi-me nas entrelinhas na mente traçadas,
Descritas nas linhas, quando “Nem um dia”,
Satisfazia
Djavan

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

O dia-a-dia em BH


Desde que cheguei a Belo Horizonte, tenho tempo suficiente para organizar minha vida, pois estou naquelas férias forçadas. Estou com a faculdade trancada, sem emprego, sem trabalhos na igreja, portanto comecei a realizar vários desejos que eu tinha antes e não podia.


Estou cozinhando todos os dias, coisa que adoro. Não gosto de cozinhar na casa dos outros, então agora que voltei pra casa faço e desfaço. Liberdade pra dar certo ou não, ótimo. Inclusive ainda essa semana vou postar uma das receitas, com foto e tudo.


Também estou estudando. Comecei com três horas por dia, e percebi que e difícil acostumar. Vem falta de concentração, dor de cabeça, a mente viaja, mas acostuma. Agora as três horas já estão passando mais rapidamente, e pretendo aumentá-las ate chegar a cinco ou seis horas, divida em dois turnos, com intervalo de meia hora no meio de cada turno. Para estudos estou com Cezar Fiuza, Curso de Direito Civil, muito boa a linguagem, clara e objetiva. E Renato Saraiva, Direito do Trabalho, típico livro preparatório para concursos. Nessa categoria em que se enquadra e muito bom também.


Estou lendo também, sem peso na consciência que eu tinha por ter que estar fazendo algo mais importante, pois agora o tempo esta mais frouxo. Continuo naquela de romance policial, comedia romântica, entre outras coisas. Atualmente estou com Agatha Christie e o Detetive Hercule Poirot, que ela faz com que seja apaixonante em cada uma de suas estórias. Esse serve como lazer.


Estou caminhando todos os dias com minha mãe uma hora e meia, numa pista aqui perto de casa. Assim como estudar, caminhar no começo e muito ruim, inclusive pelo tempo que estava sedentária. Mas depois de duas semanas e maravilhoso. O corpo tem mais disposição e trabalha melhor. Fora a oportunidade de aprimorar cada vez mais o meu relacionamento com a minha mãe.


Assisto TV também, geralmente as Series, tipo CSI, House e Grays Anatomy são minhas prediletas. Daí tem os programas, vários, ultimamente o que eu mais gosto e Receita Pop, que e tipo duas duplas, compostas de cozinheiro e assistente, que tem 20,00 pra comprar ingredientes e 20 minutos pra preparar entrada, prato principal e sobremesa. Gosto demais. De novela só assisto Tititi, ate porque acho novela perda de tempo, então uma da que sobra. Jornais, um pedaço de vários. E ultimamente o vicio e o reality A Fazenda. E, eu sei, tenho vergonha. Deixa pra la.


Quando d 23:00h entro no MSN. Pra conversar às vezes com meus amigos que deixei por Rio Branco, e sempre com o Amor. E, sempre o amor. Em falar em Amor, ele acabou de me cobrar um beijo.
[Um beijo enorme de gostoso pra você meu Amor]
E daí fico umas duas horas na internet visitando blogs, atualizando o meu, entre outras coisas.


Vou à igreja sempre que tem culto. Uma igreja menor do que a que eu estava acostumada, mas termina sendo aconchegante. As pessoas são muito receptivas, já me sinto bem em casa. Mas isso não afasta a saudade das pessoas que deixei. E bem complicado.


E o cotidiano e esse. Às vezes vou ao supermercado aqui por perto, pago umas contas numa lotérica a três quadras de casa, vou a padaria que também e bem ali, onde tem  umas coisas deliciosas, de vez em quando ao shopping. E assim a vida vai correndo, sem dar tempo de verdade pra gente pensar direito. Só que hoje tenho certeza, pelo prazer que sinto nessa rotina, que e muito mais feliz quem sabe amar as pequenas coisas do cotidiano.

Ate mais.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Presentes de natal!


 
Bom gente, já ta chegando o natal. E sempre uma data interessante, que faz a gente ter sentimentos peculiares e tal.
Ano passado nao tive a oportunidade de passar o fim de ano com minha familia, e sim com a do namorado. Esse ano vou passar com eles o fim do ano, que inclui natal, ano novo, e o mais importante, o aniversario do papis dia 01 de janeiro. De uma coisa eu sei, nada substitui familia nessas datas que despertam sentimentos peculiares. Anham, to inventando estoria pra dizer que morri de saudades da minha familia, e to morta de feliz por voltar. Minha alegria so estaria mais completa se conseguisse reunir a minha familia e a do namorado. Quem sabe da certo.
 Enfim, o fato e que eu já to fazendo a lista dos presentes que eu quero claro.
Pra começar esses relógios lindos da Swatch. Quero todos, mas aceito qualquer um.



As cores são bem sóbrias, e mais serias que aqueles que trocam as pulseiras, que eu adorei. Dai que vão bem não só com produções mais esportes, mas da ate pra misturar com uma produção um pouquinho mais sofisticada.

Já amei.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Certas coisas me lembram certas pessoas...


De, lembrei de voce. Nao que haja alguma semelhanca, mas lembrei.

Te amo.

sábado, 6 de novembro de 2010

Existe coisa mmais linda que o amor?!


Isso que e bom no amor: a diversidade de maneiras de expressar, falar, mostrar, viver, provar, sentir, enfim, amar...

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

"Mudanças e Despedidas" ou "Minhas Quatro Meninas"

Bom pessoas, faz 17 dias que eu me mudei para Belo Horizonte. Sobre a parte que diz respeito a esse novo estagio da minha vida vou falar num post mais pra frente, quando as coisas clarearem mais. Nesse eu só quero postar um texto feito por mim pra marcar a minha despedida de umas meninas muito importantes na minha vida.


Ontem recebi um texto de uma delas, que posto aqui depois. Ela me fez chorar um tanto bom, que não tinha chorado ainda. Muito bonito.


Antes do texto vou avisar que aqui, como estou numas ferias meio forcadas, estou cozinhando, testando receitas, inventando umas também. Então, vou começar a postar as receitas e fotos aqui, pra registrar as minhas aventuras gastronômicas.


Então, sem enrolar mais, ai vai o texto.


Minhas Quatro Meninas



"Entre risadas e lagrimas descobrimos o que e ter um amigo com quem dividir a vida. Percebemos que mesmo com a solidão e a angustia corroendo nosso coração, o abraço que damos faz tranqüilizar, porque sabemos que tem alguém passando por isso com a gente. E o choro que tentamos esconder de todos, na tentativa de mostrar que somos fortes, nos faz sentir aliviadas, só pelo fato de ter alguém pra quem podemos mostrar nossa fraqueza e medos, sabendo que vamos ser amadas e respeitadas da mesma forma.
Eu já orei muito pedindo a Deus que me desse uma amiga, talvez eu só precisasse olhar com mais atenção. Talvez a vida seja feita disso: examinar com calma e repetidas vezes, porque tudo o que a gente precisa de verdade a gente tem. E então, por mais que eu tivesse pedido apenas uma amiga Ele me deu algumas. Porem, por serem tão diferentes, percebi que cada uma cumpre uma certa função. Vocês são incomparáveis, não se esqueçam disso.
Sempre precisei dos seus olhos de compreensão. Ninguém sabe o quanto preciso me sentir amada. Então agradeço por não me deixarem sentir um ET nesse mundo. Obrigada por serem tão diferentes de mim e mesmo assim tão parecidas. Rir com vocês, contar meus segredos e um monte de besteiras foi uma das melhores experiências pra mim. Vocês me fazem saber como e amizade no pleno sentido e significado.
Agora, indo emboram tenho todo o medo e a expectativa do novo. Mas a única coisa que realmente domina minha cabeça e o fato de ter aproveitado tão pouco meu tempo com vocês. Penso ter descoberto o sabor de uma verdadeira amizade tarde, ou não. Nunca e cedo demais, nunca e tarde demais para as coisas boas da vida. Muito tempo, pouco tempo, todo o tempo e relativo.
Mas e realmente uma pena ter que deixar vocês. E realmente um exercício diário, por eu estar tao emotiva, conter os pensamentos e o choro que querem aflorar diante da realidade desse fato. Só que eu aprendi demais, e boa parte eu devo a vocês, que de alguma forma foram parte indispensável de dessa fase tão critica e delicada.
Não e fácil deixar uma vida inteira para trás, que tivemos tanto esforço para construir. Não e fácil tentar aproveitar meus últimos dias com vocês e em meio às risadas sentir o choro vindo quando olho no rosto de cada uma.
Porem nada foi em vão, nada mesmo. Tudo vale muito a pena. A saudade e a falta que sentirei e o sinal disso. A saudade e o amor que fica. Então resolvi dizer por que amo tanto cada uma, do jeito especial e único, mas um amor tão lindo e igual. Acredito que vai ser fácil descobrir de quem estou falando.
(Cinthia) Te amo porque você e branquela e porque a sua risada e seu jeito me fazem sentir muito melhor. Te amo porque Deus fala sempre comigo sobre você e isso me faz sentir muito especial. Te amo porque você acredita em mim. Te amo porque você e tão espontânea e louca. Te amo pelo seu jeito solto, pelo seu sorriso fácil, aquele mesmo que esconde tua tristeza quando você acha quer deve esconder. Te amo porque você e realmente uma princesa. Te amo por você ter me feito ficar viciada em hossomaki skin. Te amo pela forma como você enfrenta a vida e pela sua bobeira de ter medo de nunca amar ninguém de verdade. Te amo porque a sua voz me acalma e porque quando você canta sinto algo extremamente diferente, e  ainda franze o narizinho. Te amo pelo efeito que sua voz tem de me fazer pensar que você tem muitos sentimentos que não sabe passar de outra forma a não ser cantando. Te amo por muitas e muitas coisas.
(Tety) Te amo porque você e uma menininha, uma coisinha carinhosa que quer ser amiga de todo mundo, e nem percebe como às vezes o mundo e mau. Te amo pelo seu coração puro, pela sua voz doce. Te amo porque voce e toda carente, parece um filhotinho (Aika). Te amo por saber perdoar quem te machuca, por ser fiel, por estar à disposição seja hora que for. Te amo por ter sempre uma atitude positive em relação às pessoas. Te amo pelo jeito cínico e sapeca que você tem de brincar. Te amo pela alegria que estampa no rosto. Te amo porque você me liga e diz oi como se quisesse me conquistar todas às vezes. Te amo porque você sorri sempre como se tivesse uma surpresa, uma noticia boa. Te amo porque você ta naquela fase gostosa em que paixão e simplesmente uma delicia, e o maior problema e quando ele fica 1 hora sem ligar. Te amo porque a gente um dia já teve cabelo cacheado e franja lisa. Te amo porque você e a única pessoa que sabe fazer o carinho perfeito em mim.
(Deyse) Te amo porque você e diferente de todas as outras pessoas, e diferente de uma forma boa. Te amo porque mesmo querendo ser chata você e um amor, uma garota frágil que se apega com unhas e dentes as suas amigas, e cuida delas como se fossem suas. Te amo porque você faz cara de menininha, voz de menininha, e ninguém faz isso tão bem. Te amo porque você e um pote de dengo, e ninguém resiste a ver uma menininha batendo o PE no chão e fazendo birra. Te amo porque eu acho seu cabelo tão lindo, macio e brilhoso. Te amo pela sua sinceridade. Te amo porque quando me lembro do meu passado você sempre esta presente, e eu rio muito das palhaçadas. Te amo porque foram na sua casa às melhores noites do pijama, tradição. Te amo, muitas vezes nem sei por que, mas dizem que o melhor amor e aquele sem motivos.
(Anne) Te amo porque aprendi a amá-la. Te amo porque você e uma mulher que esta aprendendo a ser decidida e forte. Te amo porque uma vez me abri com você, e você me disse que não sabia muito que dizer, mas sabia que só o fato de ter alguém pra me ouvir já era muito importante, e você tava certa. Te amo porque você defende suas idéias, valores e convicções com todas as forcas ate o fim, e isso não e para pessoas fracas (talvez para as teimosas). Te amo porque não vou estar aqui pra ver um dos melhores e mais felizes momentos da sua vida, que só será comparável ao dia que se tornar mãe, mas estou tão feliz como se fosse comigo. Te amo porque quando você fica nervosinha e muito engraçado. Te amo porque seus olhos são lindos. Te amo porque por varias vezes fico meio tonta com o sorriso radiante que você da, e pelas vezes que você parece uma criança feliz cantando de uma forma meio doida.

Amo todas vocês. You are my only exception."

domingo, 10 de outubro de 2010

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Ate que a morte nos separe


Eu sei que o texto e grande, mas vale muito a pena ser lido.


Quando eu cheguei em casa naquela noite, minha esposa serviu o jantar, tomei-lhe a mão e disse, eu tenho algo a dizer. Apenas sentou-se e comeu em silêncio. Eu podia ver a dor em seus olhos.
De repente, eu não sabia como abrir a minha boca. Mas eu tinha que dizer-lhe o que estava pensando. ...... Eu quero o divórcio.

Minhas palavras parecem não lhe incomodar. Pelo contrário, muito calmamente me perguntou, por quê?

Evitei perguntas com o meu silêncio. Não chorei nem a olhei como um homem! Naquela noite, não nos falamos mais. Ela chorava em silêncio. Eu sabia que ela queria saber o que tinha acontecido com o nosso casamento. Mas eu não podia dar uma resposta satisfatória. Meu coração já pertencia a Heloísa. Já não a amava, eu só sentia pena.

Com um grande senso de culpa, para elaborar um acordo de divórcio deixei para ela a nossa casa, nosso carro e 30% das ações da minha empresa

Após a leitura, ela se quebrou em pedaços. A mulher que passou dez anos de sua vida era um estranho para mim agora. Fiquei triste por todo desperdício de tempo e energia comigo. Todas essas coisas que eu nunca poderia substituir. Mas agora não havia volta, eu adorava Heloísa.

Finalmente minha esposa estourou em lágrimas diante de mim, foi o que eu esperava desde o início. Ela tranqüilizou - me, disse que precisava chorar um pouco, já que a idéia do divórcio estava agora mais clara do que nunca.

No dia seguinte, ao chegar em casa tarde, ela estava a escrever algo sobre a mesa. Eu não tinha comido, passei um dia agitado com Heloísa e tinha mais sono do que fome e me apressei para dormir melhor.

Acordei de madrugada, e ela ainda estava escrevendo. Eu realmente não me importava então, voltei para cama e fui dormir.

De manhã eu apresentei as suas condições para aceitar o divórcio. Ela me disse que não queria nada de mim, mas precisava de um mês antes de assinar o divórcio, e me pediu para que neste mês nós tentássemos viver uma vida mais normal possível. Seus motivos foram simples: o nosso filho tinha alguns exames muito importantes este mês e não queria mortificá-lo com a notícia do casamento de seus pais frustrados.

Isso era algo que eu concordei. Mas havia mais, ela me pediu para lembrar os primeiros anos do nosso casamento.

Ela queria que todos os dias deste mês, dentro da nossa casa fosse somente paz, queria que eu a carregasse no colo da porta do nosso quarto até a porta da sala, assim como fazia nos primeiros meses de casado ....... Eu pensei que ela estava enlouquecendo. Mas eu decidi tomar esta condição rara, desde que este mês passasse sem brigas ou maus momentos.

Falei a Heloísa das condições que coloquei minha esposa e das condições que ela tinha colocado...... Ri muito e pensei que era muito absurdo. Ela disse ironicamente, que não importava os truques inventados por ela, mas que ela deveria aceitar a realidade e dar logo o divórcio.

Desde que manifestei a minha intenção de me divorciar, eu e minha esposa não tínhamos contato íntimo. O primeiro dia em que a carreguei no colo foi um pouco complicado. Nosso filho nos viu e bateu palmas com a alegria de nos ver e disse: pai, eu estou feliz porque você ama minha mãe. Suas palavras me causaram alguma dor. De nosso quarto até a porta, andei cerca de dez metros com ela em meus braços. Ela fechou os olhos e sussurrou-me para não contar a criança do divórcio. Eu me senti muito desconfortável, caminhei para fora e foi tomar um ônibus para o trabalho. Eu dirijo, mas deixei o carro para ela ir trabalhar.

O segundo dia foi um pouco mais fácil. Ela inclinou-se levemente no meu peito. Eu podia sentir o cheiro do perfume da blusa. Percebi que por muito tempo não tinha prestado muita atenção a essa mulher. Percebi que não era tão jovem, havia pequenas rugas no rosto, alguns cabelos grisalhos estavam se mostrando. Esse foi o preço do nosso casamento. Parei um minuto e me perguntei se eu era responsável por isso.

No quarto dia, senti que este gesto tinha nos devolvido um pouco de privacidade. Esta foi a mulher que tinha dedicado dez anos de sua vida para mim.

No quinto e sexto dias percebi que o sentimento estava crescendo novamente. Não falei nada sobre isso a Heloisa. Com o passar dos dias eu achei mais fácil de carregá-la. Talvez o exercício me fizesse mais forte.

Certa manhã, eu vi que ela estava procurando um vestido para usar, mas não conseguiu encontrar qualquer coisa que lhe servia. Suspirou e disse: tudo que eu deixei foram minhas roupas maiores. Aqui é onde eu percebi porque eu achei muito fácil de carregá-la. Ela estava perdendo muito peso, estava muito magra. Deveria ser o sofrimento pelo divórcio.

De repente eu entendi a razão ...... estava atolada em tanta dor e amargura em seu coração. Neste momento inconscientemente toquei sua testa.

Nosso filho presenciou aquele momento e disse: Papai está na hora de carregar a minha mãe. A visão de seu pai levar sua mãe a cada dia se tornou habitual. Minha esposa deu-lhe um grande abraço. Achei melhor desviar o olhar por medo de que esta imagem se movendo me fizesse mudar de planos. Em seguida, comecei a caminhar em direção à porta, e ela veio com a mão acariciando meu pescoço e me pressionou com meus braços, assim como o dia que nos casamos.

Mas a sua condição física me causou tristeza. Naquele dia, quando a carreguei, senti que ela não podia se mexer. Nosso filho tinha ido para a escola. Criei coragem e disse a ela que eu nunca percebi que a vida estava faltando alguma coisa.

Eu fui trabalhar ..... saltei fora do meu carro sem colocar a chave da porta. Eu temia que a qualquer momento pudesse mudar minha mente ..... Eu fui lá em cima, abriu a porta e disse Heloísa, me desculpe, mas eu não quero o divórcio.

Eu não podia acreditar no que eu estava dizendo, até que Heloisa chegou à minha frente e me perguntou se eu estava com febre. Retirei sua mão da minha testa e disse-lhe novamente. Estou Heloisa, eu não quero o divórcio. Meu casamento foi muito chato, porque nem ela nem eu aprendemos a apreciar os pequenos detalhes de nossas vidas. Não é porque já não a amava. Percebo agora que quando nos casamos e cobrando pela primeira vez que a responsabilidade é minha, até que a morte nos separe.

Heloisa no momento do choque veio e me deu um tapa afiado, e fechou sua porta chorando. Desci correndo as escadas e saí de lá.

Parei em uma floricultura e pedi um lindo buquê para minha esposa. A garota que estava fazendo o cartão sorriu ao escrever o que eu lhe falei: "Quero sempre ter você em meus braços Até que a morte nos separe"

Naquela noite, quando cheguei em casa, com flores nas mãos e um sorriso no meu rosto, fui ao nosso quarto só para encontrar a minha mulher na cama dela .... Ela estava morta ...

Ela tinha descoberto há alguns meses que estava doente, doente terminal. Ela não disse nada para não me preocupar, mas ela não estava indo para o trabalho todos os dias, mas para o hospital a cumprir com o tratamento. Ela me amava tanto que não queria me ver sofrer por isso ... Mas era tarde demais.

Os pequenos detalhes é o que realmente importa em um relacionamento. Não é a mansão, carro, imóvel ou dinheiro no banco. Eles criam uma falsa sensação de felicidade e não é tudo. Amados, encontre tempo para serem amigos do seu marido ou esposa, e Tome todo o tempo com aqueles pequenos detalhes que fazem a diferença e os fazem ter um casamento feliz

As veze para você isto não é nada pois tudo está bem em sua vida, mas para alguém pode salvar o casamento.


Muitos dos fracassos na vida acontecem com as pessoas que não percebem o quão perto delas estavam o sucesso quando desistiram.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Mais de mim...



(Mensagem off no meu msn que vi quando cheguei do estagio)

"...Sem você
Eu era sozinho sem saber,
Sem você
Nada inesquecível pra viver
Sem você, não mais
Não mais..."

(Conversa no msn com o Fabinho Passos, partes dele em negrito)

"- Pow, todo mundo indo embora.
O esteyvid foi, tu vai agora, a Cinthia tambem vai, a Tety tambem.
Caramba!
 
- Outras pessoas vao chegar.
A vida e assim.
 
- Pessoas sao unicas e insubstituiveis.
Ninguem consegue oupar o lugar deles.
 
- Concordo plenamente.
Mas, por outro lado, a gente tem a oportunidade de observar e conhecer a riqueza que e a natureza humana.
Como as pessoas podem ser tao diferentes e tao iguais.
Cada pessoa e insubstituivel.
E cada uma delas leva um pouco de nos e deixa um pouco de si.
Li isso em algum lugar.
 
- Essa verdade e tao melancolica.
 
- Eu tento esconder isso bem dentro de mim, e passar a imagem de que esta tudo tranquilo, feliz e sob controle.
Mas na verdade eu morro de medo, e a melancolia faz parte.
 
...
 
- Tendo o amor Helen, que e o essencial, nem o tempo nem a distancia e capaz de acabam ele.
 
- Amor e uma coisa diferente, estranha, dominadora, e a gente nunca sabe direito como lidar com isso.
As coisas nunca sao em vao, nunca sao por acaso.
Nao existe esse negocio de querer mandar em voce, se controlar.
Tem que relaxar e deixar acontecer.
Se permitir.
Porque e melhor gostar e sofrer, do que nunca gostar e nunca sentir o coracao bater descontroladamente.
 
-Tu ta poetiza demais. kkkkk
 
- Ah... e  porque eu sou uma romanca incuravel e acredito plenamente no amor.
Eu sofreria o que fosse se soubesse que um dia ia conseguir sentir o que sinto.
E a sensacao de que o amor sempre esteve ali guardado, so esperando a pessoa aparecer pra enlouquecer a minha vida."
 
(Por hoje e so...)
 
 

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Se for mentir, minta direito!




"A executiva saiu do escritório, encontrou seu colega no ponto de ônibus e caía a maior chuva. Ela parou o carro e perguntou:
- Você quer uma carona?
- Claro.... respondeu ele, entrando no carro.
Chegando ao edifício onde ele morava, ela parou o carro para que ele saísse e ele a convidou para entrar no seu apartamento.
- Não quer tomar um cafezinho, um whisky, ou alguma coisa?
- Não, obrigada, tenho que ir para casa.
- Imagine, você foi tão gentil comigo, vamos entrar só um pouquinho.
Ela subiu, atendendo ao pedido do colega.
Ao chegarem no apartamento, ela tomava seu drink enquanto ele foi para o quarto e voltou todo gostoso e perfumado. Depois de alguns gorós, quem pode agüentar??
Ela caiu, literalmente na tentação.
Transou com o colega e acabou adormecendo. Por volta das 4:00 hs da manhã, ela acordou, olhou no relógio e levou o maior susto. Aí pensou um pouco e disse ao colega:
- Você me empresta um pedaço de giz?
Ele entregou-lhe o giz, ela pegou, colocou atrás da orelha e foi pra casa.
Lá chegando, encontrou o marido louco de raiva e foi logo contando...
- Amor, quando saí do trabalho dei carona para o meu colega, depois que chegamos no prédio onde ele mora, ele me convidou para subir e me ofereceu um drink, em seguida, ele foi para o banho e retornou com uma cueca transparente, muito linda e após vários goles acabamos indo para a cama e fizemos amor, aí dormi e acordei agora há pouco...
O marido deu um berro e falou:
- Sua mentirosa sem vergonha, estava no bar de novo jogando sinuca com aquele bando de vagabundas que você chama de amigas. Nem sabe mentir direito, até esqueceu o giz aí atrás da orelha...
Pois é, na vida, tudo é relativo: Um fio de cabelo na cabeça é pouco, na sopa é muito!"


Vi no Mulher de 40.

sábado, 2 de outubro de 2010

Bom dia dia, bom dia medo...

Eu nao sei, simplesmente nao sei. E nao me cobre a seguranca que voce nao pode me dar.

Procuro todos os dias convencer meu cerebro a tomar uma decisao, formular uma conclusao, afinal, nas minhas contas ja tenho "material" suficiente pra conseguir fazer isso.

Mas e que nao posso, nao consigo, e nao sou so eu, a maioria das mulheres tem essa inseguranca.

Do "sera que vai dar certo", pula pro "sera que te amo", que pula pro "sera que vai dar certo", pro "sera que vai ser pra sempre", pro "sera que vamos aguentar".

Um dia a gente ta super bem, outro dia a gente ta esquisita, e no outro a gente ta confusa e morrendo de medo.

NAo se engane, todos nos somos vulneraveis e influenciaveis em assunto sobre os quais nao temos dominio.

E, acredite, coracao e terra que ninguem domina, ninguem manda. As coisas simplesmente acontecem, as pessoas mudam.

Resta saber se "independente de qualquer mudanca o amor vai permanecer?", "vamos saber lidar com os problemas que virao?"

N a verdade a gente nunca sabe de nada ate passar pela situacao.

Mulheres sao assim, preocupadas em fazer tudo dar certo, stressadas por nao terem dominio das coisas.


E ISSO NAO MUDA.


Porem e isso que faz delas especiais. observar uma mulher e perceber o quanto ela e uma criacao impressionante, inigualavel.

Hoje e hoje, o seu ultimo hoje, se nao conseguir viver assim, pelo menos tente.

Hoje e dia de ser feliz.

Vamos tentar?

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Novo visu de Desiree (Tititi)


Vai viajar e voltara com esse cabelo.
Eu simplesmente A-DO-RO esse comprimento de cabelo.
O rosto dela ficou outro. Muito mais lindo.
Amei.
E, cabelo a parte, que sobrancelha e essa que essa mulher possui. ParaTudo!

sábado, 25 de setembro de 2010

Calma com a corrida que se nao tropeca...


Existe uma coisa que me faz ser do jeito que sou. Tenho uma ansia de viver o que sei que tenho pra viver logo. Nao sei se por querer ver o que tem alem daquilo, ou se pelo simples fato de saber como e que vai ser passzr por essas experiencias.
Eu sei o que tenho que fazer, sei porque tenho que fazer, e sei como chegar onde preciso chegar. Mas sera que essa ansiedade, essa pressa nao vai me prejudicar? Sera que, por vontade de chegar nao vou conseguir chegar?
Na verdade essa discucao e meio antecipada, a ansiedade denovo. Recentemente dei alguns passos no meu caminho, e ja quero correr para os proximos. Ja sei qual o sentido, o fim, o alvo disso tudo.
Cuidado com a pressa menina, pra nao tropecar, machucar e ter que parar pelo caminho mais tempo do que planejava.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Depilação Feminina... a historia de uma primeira vez...

Esse texto que achei por ai sem nome de autor tava guardado aqui pa postar um dia, dai um acontecimento me lembrou dele. Sem preguicinha, leiam.


"Tenta sim. Vai ficar lindo.
Foi assim que decidi, por livre e espontânea pressao de amigas, me render à depilação na virilha.
Falaram que eu ia me sentir 10 quilos mais leve. Mas acho que pentelho não pesa tanto assim.
Disseram que meu namorado ia amar, que eu nunca mais ia querer outra coisa.
Eu imaginava que ia doer, porque elas ao menos me avisaram que isso aconteceria. Mas não esperava que por trás disso, e bota por trás nisso, havia toda uma indústria pornô-ginecologica-estética.
- Oi, queria marcar depilação com a Penélope.
- Vai depilar o quê?
- Virilha.
- Normal ou cavada?
Parei aí. Eu lá sabia o que seria uma virilha cavada. Mas já que era pra fazer, quis fazer direito.
- Cavada mesmo.
- Amanhã, às...deixa eu ver...13h?
- Ok. Marcado.
Chegou o dia em que eu perderia 10 quilos.
Almocei coisas leves, porque sabia lá o que me esperava, coloquei roupas bonitas, assim, pra ficar chique. Escolhi uma calcinha apresentável. E lá fui.
Assim que cheguei, Penélope estava esperando.
Moça alta, mulata, bonitona. Oba, vou ficar que nem ela, legal.
Pediu que eu a seguisse até o local onde o ritual seria realizado. Saímos da sala de espera e logo entrei num longo corredor.
De um lado a parede e do outro, várias cortinas brancas. Por trás delas ouvia gemidos, gritos, conversas. Uma mistura de Calígula com O Albergue.
Já senti um frio na barriga ali mesmo, sem desabotoar nenhum botão. Eis que chegamos ao nosso cantinho: uma maca, cercada de cortinas.
- Querida, pode deitar.
Tirei a calça e, timidamente, fiquei lá estirada de calcinha na maca. Mas a Penélope mal olhou para mim. Virou de costas e ficou de frente pra uma mesinha. Ali estavam os aparelhos de tortura.
Vi coisas estranhas. Uma panela, uma máquina de cortar cabelo, uma pinça.
Meu Deus, era O Albergue mesmo.
De repente ela vem com um barbante na mão. Fingi que era natural e sabia o que ela faria com aquilo, mas fiquei surpresa quando ela passou a cordinha pelas laterais da calcinha e a amarrou bem forte.
- Quer bem cavada?
- é...é, isso.
Penélope então deixou a calcinha tampando apenas uma fina faixa da Abigail, nome carinhoso de meu órgão, esqueci de apresentar antes.
- Os pêlos estão altos demais. Vou cortar um pouco senão vai doer mais ainda.
- Ah, sim, claro.
Claro nada, não entendia porra nenhuma do que ela fazia. Mas confiei.
De repente, ela volta da mesinha de tortura com uma espátula melada de um líquido viscoso e quente (via pela fumaça).
-Pode abrir as pernas.
-Assim?
- Não, querida. Que nem borboleta, sabe? Dobre os joelhos e depois joga cada perna pra um lado.
- Arreganhada, né?
Ela riu. Que situação.
E então, Pê passou a primeira camada de cera quente em minha virilha virgem. Gostoso, quentinho, agradável. Até a hora de puxar.
Foi rápido e fatal. Achei que toda a pele de meu corpo tivesse saído, que apenas minha ossada havia sobrado na maca. Não tive coragem de olhar. Achei que havia sangue jorrando até o teto. Até procurei minha bolsa com os olhos, já cogitando a possibilidade de ligar para o Samu. Tudo isso buscando me concentrar em minha expresão, para fingir que era tudo supernatural.
Penélope perguntou se estava tudo bem quando me notou roxa. Eu havia esquecido de respirar. Tinha medo de que doesse mais.
- Tudo ótimo. E você?
Ela riu de novo como quem pensa "que garota estranha". Mas deve ter aprendido a ser simpática para manter clientes.
O processo medieval continuou. A cada puxada eu tinha vontade de espancar a Penélope.
Lembrava de minhas amigas recomendando a depilação e imaginava que era tudo uma grande sacanagem, só pra me fazer sofrer. Todas recomendam a todos porque se cansam de sofrer sozinhas.
- Quer que tire dos lábios?
- Não, eu quero só virilha, bigode não.
- Não, querida, os lábios dela aqui ó.
Não, não, para tudo. Depilar os tais lábios grandes? Putz, que idéia.
Mas topei. Quem está na maca tem que se f*der mesmo.
- Ah, arranca ai. Faz isso valer a pena, por favor.
Não bastasse minha condição, a depiladora do lado invade o cafofinho de Penélope e dá uma conferida na Abigal.
- Olha, ta ficando linda essa depilação.
- Menina, mas ta cheio de encravado aqui. Olha de perto.
Se tivesse sobrado algum pentelhinho, ele teria balançado com a respiração das duas. Estavam bem perto dali. Cerrei os olhos e pedi que fosse um pesadelo. "Me leva daqui, Deus, me teletransporta."
Só voltei a terra quando entre uns blábláblás ouvi a palavra PINÇA.
- Vou dar uma pinçada aqui porque ficaram uns pelinhos, tá?
- Pode pinçar, tá tudo dormente mesmo, tô sentindo nada.
Estava enganada. Senti cada picadinha daquela pinça filha da mãe arrancar cabelinhos resistentes da pele já dolorida.
E quis matá-la. Mas mal sabia que o motivo para isso estava por vir.
- Vamos ficar de lado agora.
- Hein?
- Deitar de lado para fazer a parte cavada.
Pior não podia ficar. Obedeci a Penélope. Deitei de ladinho e fiquei esperando novas ordens.
- Segura sua bunda aqui.
- Hein?
- Essa banda aqui de cima, puxa ela pra afastar da outra banda.
Tive vontade de chorar. Eu não podia ver o que Pê via. Mas ela está de cara para ele, o olho que nada vê. Quantos haviam visto, à luz do dia, aquela cena? Nem minha ginecologista.
Quis chorar, gritar, peidar na cara dela, como se pudesse envenená-la.
Fiquei pensando nela acordando a noite com um pesadelo. O marido perguntaria:
- Tudo bem, Pê?- Sim...sonhei de novo com um c* de uma cliente.
Mas de repente fui novamente trazida para a realidade. Senti o aconchego falso da cera quente besuntando meu Twin Peaks.
Não sabia se ficava com mais medo da puxada ou com vergonha da situação. Sei que ela deve ver mil cus por dia. Aliás, isso até alivia minha situação. Porque ela lembraria justamente do meu entre tantos?
E ai me veio o pensamento: peraí, mas tem cabelo lá?
Fui impedida de desafiar o questionamento. Pê puxou a cera. Achei que a bunda tivesso ido toda embora. Num puxão só, Pê arrancou qualquer coisa que tivesse ali. Com certeza não havia nem uma preguinha pra contar a história mais.
Mordia o travesseiro e grunhia ao mesmo tempo. Sons guturais, xingamentos, preces, tudo junto.
- Vira agora do outro lado.
P*rra...porque não arrancou tudo de uma vez só?
Virei e segurei novamentea bandinha. E então, piora. A broaca da salinha do lado novamente abre a cortina.
- Penélope, empresta um chumaço de algodão?
Apenas uma lágrima solitária escorreu de meus olhos. Era dor demais, vergonha demais. Aquilo não fazia sentido. Estava me depilando para quem? Ninguém ia ver o tobinha tão de perto daquele jeito. Só mesmo Penélope. E agora a vizinha inconveniente.
- Terminamos, pode virar que vamos passar a maquininha.
- Máquina de que?
- Pra deixar ela com o pêlo baixinho, que nem campo de futebol.
- Dói?
- Dói nada
.- Tá, passa essa merda...
- Baixa a calcinha, por favor.
Foram dois segundos de choque extremo.
Baixe a calcinha, como alguém fala isso sem antes pegar no peitinho?
Mas choque foi substituido por uma total redenção. Ela viu tudo, da parereca ao cu. O que seria baixar a calcinha? E essa parte não doeu mesmo, foi até bem agradável.
- Prontinha. Posso passar um talco?
- Pode, vai lá, deixa a bicha grisalha.
- Tá linda. Pode namorar muito agora.
Namorar...namorar...eu estava com sede de vingança.
Admito que o resultado é bonito, lisinho, sedoso.
Mas doia e encomodava demais. Queria matar minhas amigas.
Queria virar feminista, morrer peluda, protestar contra isso. Queria fazer passeatas, criar uma lei antidepilação cavada!!"
Muito traumatico, mas nada que qualquer mulher nao se acostume.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Igual a um boomerang

Culto domestico e uma coisa que surpreende a gente. Terminamos nao dando a real importancia que ele tem. Alegamos falta de tempo, ou simplesmente deixamos pra depois. Mas Deus quer muito esse tempo intimo so com voce, aquele tempo que todo pa e filho tem que ter pra conversar sobre qualquer coisa, importante ou nao, pelo simples fato de existir um grande amor entre os dois.
Hoje fiz meu culto domestico, sozinha no meu quarto, orei, cantei tres hinos da harpa e li um capitulo "aleatorio" da Biblia. Aleatio na verdade nao foi porque pedi a Deus que me fizesse aprender na sua palavra, e cada capitulo da Biblia em seu aprendizado.
Li 1Reis, capitulo 21.
Acabe era o rei de Samaria, e sua esposa era Jezabel. Nabote era um jezeelita que tinha uma vinha que havia herdado de seu pai junto ao palacio do rei Acabe.
Acabe viu a vinha e achou que ela daria uma boa horta pro palacio, dai foi e ped a Nebote que lhe vendesse por dinheiro, ou que trocasse por uma vinha melhor ainda. Mas Nebote nao aceitou, justamente pelo fato de ser sua heranca. Acabe se achava no direito de possuir o que quisesse por ser o Rei.
Os argumentos de Acabe nao foram suficientes e ele ficou deprimido e nao quis mais comer.
Entao Jezabel viu e pediu que ele nao se preocupasse que a vinha seria dele. Jezabel erauma mulher maligna que queria extinguir o culto ao Senhor, e colocar Baal de Tiro como Deus principal de Israel.
Entao ela armou contra Nebote. Mandou cartas como se fosse Acabe aos anciaos e aos nobres, para que ordenassem um jejum ao povo, e colocasse Nebote sobre o povo. Depois mandassem dois homens filhos de Belial para que testemunhassem contra Nebote dizendo que tinha blasfemado. Entao o levassem para fora da cidade e o apedrejassem ate a morte.
Assim foi feito. Entao Jezabel mandou que o rei tomasse posse da vinha pois Nebote estava morto.
Mas Deus nao ficou nada satisfeito com isso e falou com seu profeta Elias. Deus mandou que Elias fosse ate Acabe e falasse coisas muito duras como: no lugar em que os caes lamberam o sangue de Nebote, lamberiam tambem o sangue de Acabe. E Deus tiraria doRei toda a sua posteridade e todos os seus homens. Tudo isso por provocar o Senhor e fazer com que o povo pecasse contra Deus.
Ainda disse que tambem Jezabel seria comida por caes perto do antemuro de Jezreel.
O Rei ouvindo isso se humilhou diante do Senhor. Entao o Senhor deixou passar os dias de Acabe, mas cumpriu essa promessa nos dias dos filhos de Acabe pois trouxe o mal sobre a sua casa. Porem quando Acabe morreu na batalha os caes lamberam seu sangue. A promessa tambem foi cumprida quanto a Jezabel.
Diante dessa historia fica claro que Deus e Deus de justica e cumpre suas promessas. E por Acabe e Jezabel terem feito mal a seu servo Deus retribuiu as suas acoes.
Entao fique dentro dos nossos coracoes essa licao:
Tudo o que plantarmos colheremos, e o que fizrmos aos outros, receberemos. Como um Boomerang.




quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Para uma vida com Cristo em primeiro lugar

A coisa mais importante da minha vida , alias, a parte mais importante dela e a minha vida espiritual. Porque nos, cristaos, sabemos que essa vida fisica e tudo o que ela abrange e passageiro, mas a vida espiritual e o que realmente nos interessa para que tenhamos uma vida terrena boa, e uma vida eterna com Cristo.

Sempre que faco cultos domesticos, o Senhor fala comigo para que a minha vida seja edificada, em algum assunto que preciso. Sempre costumo ler 1 ou 2 capitulos, mas hoje me deu vontade de continuar, e um texto puxa outro, por fim cai, nao por acaso, pois nada com Deus e por acaso, nesse texto a seguir. Acredito que nao so pra minha vida, mas para a vida de muitos jovens de hoje esse seja um ensinamento muito precioso, pois estamos em fase de amadureciment espiritual, e apesar de todas as coisas cooperarem para o bem dos servos do Senhor, existem sempre as forcas malignas lutando contra o nosso crescimento espiritual sadio.

Segue um pequeno e precioso ensinamento de Deus atraves de Paulo, que ensinava aos Corintios. O texto fala sobre o arrebatamento mas esse versiculo extraidoem especifico tem a conotacao de que devemos cuidar para que nao sejamos enganados quanto a este assunto, mas tambem no sentido que me foi dado hoje:

1 Coríntios 15:33

Paulo diz:

“Não vos enganeis: as mas conversações corrompem os bons costumes.”

1.Devemos evitar conversar sobre coisas que não edificam, coisas mas e pecaminosas, pois estas conversas são usadas pelo Diabo para nos corromper.

2. Devemos preencher nossas mentes e tempo com coisas que agradem a Cristo, pois isso dificulta que nossa mente e tempo tenham espaço para coisas malignas.

3. Nossos amigos mais íntimos devem ser também irmãos em Cristo para que um edifique o outro, e não estejamos lutando sozinhos a favor de Cristo.

Por mais simples que seja, acatar esse mandamento e ter certeza de observar uma mudanca de vida ao longo do tempo.

Ate mais.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Tem coisas que n precisam de titulos...

*eu so queria amor, certeza, tranquilidade
*queria ser uma rocha inabalavel
*mas isso e quase inalcancavel diante do fato de eu ser voluvel
*quase uma "metamorfose ambulante'
*sabia que tenho que aprender, cultivar oq te amo todo dia?


*essas musicas mexem pra caramba comigo
*=D
*assim
*reviram todos os sentimentos adormecidos e acordados do meu coracao
*mas isso e uma coisa tao rapida
*daki a pouco a tristeza passa
*e eu fico agradecendo a Deus e observando os pequenos detalhes-bencaos
*=]
*sera que vc vai saber conviver com a minha loucura
*?


*sao apenas besteiras
*que sao agravadas pelas circunstancias
*tem coisas que a gente tem quue fugir
*tem coisas que a gente tem que cultivar
*tem que coisas que sao como os espinhos na carne
*sao coisas da vida
*e a vida e tao boa, um milagre tao maravilhoso ao mesmo tempo que sempre temos os espinhos
*q pela fantastica dadiva de viver e amar, e ser amor, e aprender, e poder mudar
*essas coisas todas q a gente faz ou pode fazer
*os espinhos sao completamente aguentaveis


*a vida tem suas recompensas pra cada tropeco
*e dai a gente vai vivendo
*sorrindo e chorando
*percebendo que tudo isso faz parte
*do milagre da vida
*de apesar de qualquer coisa
*ainda conseguir sorrir
*e seguir em frente
*pq a unica coisa q impossibilita o seguir em frente e a morte
*e a gente ta vivo


*eu te amo
*essas palavras tem tanto significado
*e tanta coisa pra tres palavras soo
*e como se eu pudesse escrever livros e mais livros
*e resumi-los em tres palavras
*TUDO se resume em amor, amar, dar amor, SER amor


*a dor faz pensar
*inspira
*o amor tmb
*sabia?
*por isso q todo poeta e doido
*sofre
*ama
*se racha todo
*pq e a fonte de toda a inspiracao


*te ver
*sentir teu cheiro
*te ver dirigindo serio
*pensando em coisas que nunca me conta
*beijar sua boca
*pedir um beijo seu
*ficar te olhando e esperando que advinhe meus pensamentos
*te ver tentando me fazer passar a raiva

Obs.: Por onde andei, All Star, Pra voce guardei o amor... Nando Reis.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Baby Fashion

Eu adoro bebes e criancas, ainda mais se for fashion como essa coisa linda ai de cima.
Quem nao baba numa coisinha dessas?!
Essa e Dolores Souza, a coisita mais linda com esses all stars, que encontrei no lookbook da oi.
Meus filhos serao fashion assim como Dolores.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Motivos pelos quais adorei vir a Belo Horizonte

1. A gente pode passar cremes hidratantes a vontade que tudo e absorvido pela pele, e por não suarmos a pele fica uma delicia. Da vontade de usar um pro corpo, um pro rosto, um pras mãos, um pros pés, e assim vai.
2. O clima durante o mês que passei aqui foi delicioso, não e quente, e nem frio demais. E friozinho na medida certa pra usar roupas mais quentinhas, mas nada que te impeça de usar um vestido e havaianas (que eu adoooro).


2. Por fazerem 7 meses que estava longe dos meus pais, eles são só alegrias, dengos e tudo o mais. Muito bom.

4. Como são férias estou fazendo tudo o que eu adoro e que geralmente não da tempo, como ler muito, cozinhar, dormir, ir ao SHOPPING pra almoçar e sair quase expulsa quando esta fechando, andar a toa em volta da Lagoa da Pampulha, e muito mais.


5. Roupas aqui são baratas, e sapatos também, não só nas feiras, mas nos shoppings e nas lojas também. Quem mora em Rio Branco sabe do que to falando.


6. A comida – Muita coisa gostosa que vou detalhar num outro post.


7. Meu pai. Nem precisa falar muita coisa, só o fato de ele ser ele, e nos parecermos tanto.



8. As risadas. Quem conhece minha Irma e minha mãe sabe que elas são excepicionais. A gente ri o dia inteiro, de qualquer besteira, em todo lugar. Elas são maravilhosas e eu tava com tanta saudade das palhaçadas. Ate triste a gente fica feliz.


9. A cidade e uma mistura. Em cada lugar que passamos e um estilo diferente, uma cidade gigante. E o interior e melhore ainda, parece historia viva.



10. Os anéis de pedra fria. Gente como são lindos, eu queria só um de cada pedra. Pedras maravilhosas, e com um preço ótimo, desde as bijuterias ate em ouro, prata e ouro branco.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Puro Glamour.

Eu nao sei o que Elisabetta Canalis tem de melhor nessas fotos.
Estou em duvida entre esse vestido glamuroso, quase flutuante.

Ou esse carao "prepara pra foto amiugaa".


Mas acho que escolho esse "detalhe" ao lado dela.
Sinceramente, como bem diz mamae, tem coisas que quanto mais o tempo passa, mais saboroso fica.
E bota saboroso nisso neguinho.


Imagens do Blog da Lala

terça-feira, 29 de junho de 2010

Eu sou ELA, eu sou AQUELA.



Minhas unhas hoje estao pintadas de azul escuro. Geralmente, apesar de meus pais terem me criado para usar cores discretas, que vao do branco ao rosa claro, passando ainda pelo bege, minha vontade mesmo sao as cores mais escuras e diferetes. O discreto fica por conta dos cinzas-chumbo, ou dos vermelhos abertos, e discreto tambem esse azul, azul fechado. E disso que eu gosto. E a viagem dos gostos passa pela terra dos fluorescentes, foscos, coloridos, diferentes. E disso que eu gosto, do que e diferente, do que apareca pelo diferencial.


E se eu gosto de alguma coisa, e aquilo vira modinha, entao qualquer fulaninha na rua ja ta usando, naquela febre, pra mim perde a graca, nao uso mais, e assim nao tem quem faca. A nao ser que no igual tenha algo difererente, porque eu nao nasci pa ser mais uma, eu nasci pra ser ELA, nasci pra ser AQUELA, que ninguem precisa nem saber o nome pra saber quem e, mas mesmo assim todo mundo tem curiosdade.


Nao e que eu me ache alguma coisa melhor que os outros, simplesmente tem algo dentro de mim que nao me deixa querer me encaixar. Enquanto todo mundo se retorce para se encaixar num grupo, eu nao quero isso. Nasci pra ser ELA, nasci pra ser AQUELA. Nao quero me encaixar em um grupo, quero me encaixar em todos. Quem se rotula, se restringe. Eu nao sou NADA, eu sou TUDO.


Enquanto todas querem longos cabelos, os meus hoje sao chanel. Sao chanel porque ao meu redor so tem um monte de cabelo, e o meu nao precisa fazer parte do monte. Chanel e desbotado, mas ficarao pretos, sabe porque? Porque cabelo chanel preto e lindo, e porque toda garota quer ser loira.


Que graca tem as loiras? A graca delas, mas eu tenho a minha. Eu sou morena, uma morena de gosto ruivo. Nada contra as loiras, sao todas lindas, mas eu sou morena. Morena, de gosto ruivo. Porque as morenas sao quentes, inteligente, gostosas, poderosas, decididas, lindas, e chamativas. Posso nao ser nada disso, mas sou morena.


Os homens acham loiras gostosas, mas eles amam as morenas. So que meu gosto e de cabelo ruivo. Gosto e do vermelho mesmo. Sabe porque? Porque e diferente. Sai do plano do que e natural, do que e normal. E eu ja quis pintar ele de preto, e as pontas de azul escuro.


Quase todo mundo me chama de doida, mas sabe o que acontece quando ouco isso? Ai eu fico feliz, fico viva de alegria. Porque eu sou eu, doida mas sou eu. Nao sou mais uma das, eu sou ela. Na verdade, nao saberia ser uma das, sabe porque? Porque eu nasci pra ser ELA, nasci pra ser AQUELA.


E digo mais: Nao me comparem, pois assim eu morro em mim mesma. Eu so existo se for so eu.


Nao sou rocker, nao sou punk, nao sou pop, nao sou patty, nao sou girlie, nao sou emo, nao sou gotica, nao sou sweet, nem lolita, nao sou nada desses bagulhos, eu sou eu. E isso e muito mais completo do que ser qualquer outra coisa.


Nasci pra ser doida, diferente, nasci pra ser morena, mas com gosto de ruiva, sabor de cafe, chocolate amargo, dia sem fim, fases de lua, cama e hedredon em dia de frio, basico de luxo, pra quem pode, pra quem tem coragem, pra quem aguenta.


Enquanto garotas sao rosas, eu sou toda vermelha e azul escuro, sou presto e branco, sou laranaja e verde cana. Eu sou uma no mundo inteiro.


Eu sou ELA, eu sou AQUELA.